Madri

Há sete anos decidi largar um estágio para estudar espanhol na Espanha. Foi aí que o tal do bichinho me picou e eu fiquei viciada em viagens, com uma vontade cada vez maior de conhecer novos lugares.

Muita coisa mudou em sete anos, me formei, troquei de emprego algumas vezes, viajei, estudei de novo, adquiri um novo hobby, mudei de casa, conheci outras pessoas, fiz novas amizades… Mas eis que no fim das contas, as coisas não mudaram tanto assim. Larguei um emprego pra vir pra Espanha. Ok, a intenção inicial, de estudar aqui não rolou, mas não deixa de ser um repeteco do que já fiz. E considerando como a Espanha me afetou há sete anos, não podia deixar de passar por este país no início de uma grande viagem.

Antes de chegar aqui ainda me perguntava se as coisas teriam mudado muito, já que na primeira vez, a Espanha não estava em crise e ainda era o destaque de crescimento econômico da União Europeia.

A verdade, é que não me pareceu terem mudado. Mendigos ou pessoas pedindo esmolas? Tem, mas bem menos que em São Paulo. Beeeem menos. E as cidades que vi continuam com uma infraestrutura excelente.

Imaginava também que os espanhóis estariam mais mal humorados e grosseiros, e para ser sincera, achei eles mais simpáticos e sorridentes do que na outra vez. Pelo menos os madrilenhos, que ainda levam a fama de serem os mais grossos.

Não sei se foi só “sorte” de encontrar gente simpática ou se os caras estão tratando melhor turista, já que turismo é uma das grandes fontes de dinheiro para Espanha.

Mas enfim, já fiz minha digressão, e agora vou falar rapidamente da cidade.

Madri continua linda, do jeito que eu me lembrava. Mas vi que revisitar uma cidade que já conheço não é lá muito minha praia.

Até fui conhecer lugares que não tinha conhecido antes, como os museus Reina Sofia e o Thyssen-Bornemisza. Não fui novamente no Museu del Prado porque depois de gastar quase 30 euros para entrar nos dois primeiros, não quis gastar mais 15 para ver novamente coisas que já tinha visto. E tenho certeza que o Las Meninas continua do jeito que Velázquez pintou e do jeito que vi em 2007.

Aproveitei também pra ficar andando sem rumo e conhecer ruazinhas menos visitadas por turistas. Continuo achando a cidade linda, e viveria aqui facilmente. Mas para passear, preciso de algo novo para me empolgar.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ir para o site

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s